Brenda Ligia-Cinema,TV,Teatro

Minha foto
Brenda Ligia: prêmio de Melhor Atriz no festival CinePE 2017. Estreias: “Onde Quer Que Você Esteja” (longa/ Macondo Filmes SP); “Causa Mortis” (curta/ LRJ Filmes), “África da Sorte” (série/ TV Brasil), “15 Segundos” (longa/ prod.: Antonio Fagundes). Brenda está nos longas “Todas as Cores da Noite” (Pedro Severien), “As Melhores Coisas do Mundo” (Laís Bodanzky), “Sangue Azul” (Lírio Ferreira), “Bruna Surfistinha” (Marcus Baldini). Atuou nas séries de televisão “Sob Pressão” (Rede Globo), “A Mulher do Prefeito” (Rede Globo), “Beleza S/A” (GNT), “9mmSP” (Fox), “Somos Um Só” (TV Cultura). Formada em Comunicação Social na Faculdade Oswaldo Cruz/ SP. Cursou Técnico Profissionalizante em Teatro no Teatro Escola Macunaíma/SP. Em Teatro, foi dirigida por Wagner Moura na leitura dramática do espetáculo “Tchau, Querida”. Cursou Ciências Sociais na University of the West Indies (Trinidad & Tobago, Caribe) e Francês em Vevey (Suíça). Idiomas: Português, Inglês, Francês. Publicidade: Vivo, Santander, Sebrae, Coca-Cola, Mc Donald’s, Nossa Caixa, Nestlé, Nextel. Também APRESENTADORA e videomaker. CONTATO: brenda.ligia@hotmail.com

13 de abril de 2011

Romualdo

Romualdo, o "faz-tudo" da família, veio aqui em casa hoje para consertar geral. Arrumou o cano da máquina de lavar, a fiação exposta que dava choque, mais alguma coisinha que não me vem à mente, e ficou faltando só o ar condicionado.

Sim, o jovem rapaz franzino (de extrema confiança!) entende de tudo um pouco, e costuma trabalhar com afinco. Tendo o vizinho de baixo reclamado sobre um vazamento do ar condicionado, decidiu-se anexar uma mangueirinha ao aparelho do nosso quarto. Coisa que, diga-se de passagem, Romualdo tiraria de letra. E lá foi ele, bem resolvido, resolver essa bronca.

Mirou o ar con, do fundo do corredor, e foi caminhando decididamente em sua direção. Andou, andou, andou e simplesmente não freou: emplacou sua testa no vidro da janela, o pobre Romualdo. Pasmei: ele não tinha visto que a janela estava fechada! Avançou de cabeça contra o vidro, estraçalhando-o em frangalhos.

Retraiu-se, gemeu. Sangue.

Lamentou-se pelo vidro, todo jururu. Dor.

Providenciamos algodão, merthiolate. Cura.


Agora, com vidro quebrado sobre um ar condicionado sem mangueirinha anti-vazamento, o souvenir que se vê é um tufo do cabelo do Romualdo que ficou grudado ali entre os cacos trincados da janela... tadinho.


"Só arrancou o tampo", disse.

Um comentário:

Ana Lúcia disse...

Só?
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Mas foi engraçado (tadinho!)
Será q nasce cabelo ali?

Bjs!!!